3.30.2016

Stumpy vs Motolite

Depois de nos últimos meses a Stumpy ter sido a máquina mais utilizada, podia transparecer a ideia de a Motolite estar esquecida. Nada disso, apenas poupada! Mesmo sem Reverb, a Motolite é capaz de dar uns saltos conquanto se baixe o Thompson; só que me custa ouvi-la "bater no chão" e o quadro já tem uns anitos. Portanto, o "comparativo" tem de deixar esse ponto de lado.
Para já, a grande diferença entre as 2 é mesmo a altura ao solo; mais baixa, a Stumpy pode ser mais rápida em ST fluidos e sem grandes obstáculos mas fora isso continuo a preferir a Motolite e não andar sempre a bater com os cranks no chão ou com o prato 3 a roçar nas pedras mais altas. Fora isso, a Motolite, de construção bem mais antiga, continua a ser uma grande máquina!
Outra diferença significativa mas a nível de componentes é o travão traseiro; a Motolite com um disco de 160mm e uns Hope já bem usados, dá uns arrepios quando se entra em descidas mais íngremes.
Finalmente, o purgatory 2.2 que está na Stumpy não é directamente comparável com o Captain 2.0 que está na Motolite. Com bom piso (aderente) o Captain não fica muito atrás mas são pneus com finalidades bastante distintas. O captain rola e sobe lindamente, desce bem mas o purgatory é outra coisa nas descidas. 

3.18.2016

Tirar GoPro do armário

My Movie2 from Rui Malho on Vimeo.


Creio que há mais de 3 anos que não a usava e resolvi testá-la. Aparentemente está tudo ok mas rapidamente veio à memória o porquê de estar há tanto tempo no armário. Não há paciência para estar sempre no liga/desliga, para carregar aquele peso no capacete, para editar o video. E sim, para a elevada dose de narcisismo porque só mesmo o autor tem gosto de os ver :-)

3.14.2016

Ainda outra serra...

E também sem bicicleta! (mas ficou a vontade de lá voltar com ela :-) )

3.09.2016

Por outra serra

Este fds a bike foi trocada pelo tobogan, as pedras pelas bolas de neve e na companhia da família abrimos o champanhe, como há 5 anos!

3.02.2016

Teste - 180 mm atrás

Ok, nas descidas mais longas ou íngremes de Sintra o disco de 180mm atrás fez diferença. O ruído do "fritar óleo" (fricção das pastilhas) persiste mas a travagem é mais eficiente e ajuda a fazer alguns troços com mais confiança.
Confiança é algo que se tem notado também na conquista de alguns saltos. De cada vez que repito uns com mais facilidade, tento fazer um ligeiramente maior ou mais rápido e a coisa tem corrido bem. Arriscando um pouco de cada vez tenho ganho em prazer mas se isto continua assim temo que a stumpy não tenha resistência para tanto.