2.23.2015

Serra, mar e VENTO!


O programa das festas do fds não envolveu Sintra mas uma tirada de 2 dias Aljezur-Sagres-Aljezur. Como parece ser fado cada vez que vamos andar para estas bandas tivemos um convívio excelente, paisagens fantásticas, trilhos bonitos q.b., avarias técnicas que levam Mr TP a superar-se e muito, mas muito vento! Umas alterações ao dia 1 (Aljezur-Sagres) deixaram a volta com cerca de 72 Km muito engraçados, começando pelos barrancos da serra algarvia e culminando nas falésias que vão da praia da Luz a Sagres (a lembrarem os percursos junto ao Cabo espichel). Aqui ainda rolámos bem, pese embora um vento lateral nos últimos Kms. Um bom alojamento, um excelente banho e o dia terminou com um jantar bem regado! Era óbvio que o melhor estava feito até porque as previsões de vento forte para domingo deixavam antever uma jornada de sacrifício para o regresso. Dito e feito. Desde que saímos foi pedalar com o vento a urrar nos ouvidos, tentando tirar o máximo partido da fila indiana. Entre aleijados e fora de forma, eu pareci o que estava em melhor forma e tive portanto a "honra" de abrir a fila durante um bom pedaço (há 2 anos foi o oposto :-). A coisa até ia bem até Mr A resolver enfiar um pau no desviador traseiro (again!) e torcê-lo de tal forma que só mesmo o engenho e a paciência de Mr TP conseguiram recuperá-lo minimamente. Daí para a frente, com Mr D a queixar-se de dores corporais, pouco mais havia a fazer que deixar os trilhos do litoral e acabar os 20 Kms que faltavam por estrada. Mas mesmo esses foram engraçados (e um bom treino).

2.19.2015

Afinações e separação de cabos

A penúltima volta tinha-me deixado incomodado com a questão da afinação das mudanças. No suporte parecia estar tudo ok e a rolar a "desafinação" surgia um bocado de forma ocasional. Lembrei-me então do meu "truque" para minimizar a fricção dos cabos de mudança e travão no rocker-arm: uni-los com fita! Asneira, pois claro. Isso impedia a bicha das mudanças de se mover livremente com alterações de curso o que, por sua vez, causava as mudanças fantasma. Portanto para esta última volta, libertei-os novamente colocando protecção individual e a coisa resolveu-se. Sempre a aprender...

2.18.2015

Selim Phenom

O selim improvisado da outra semana não satisfez, claro (foi um improviso, nem outra coisa seria expectável). Por isso procurei outro e a escolha recaiu sobre um modelo que já tinha há tempo debaixo de olho - Phenom. Com os carris em Cr-Mo tem apenas um pouco mais de que o Rival-Ti mas espero que uma robustez acrescida. É um selim de mais performance e menos conforto mas as 2 voltas com ele efectuadas foram satisfatórias. Um pouco mais rijo, não prende calções, posição de fácil ajuste. Esta versão é a de 143 mm que até é supostamente a indicada para a minha zona pélvica embora eu tivesse preferido a de 130 mm que tão bons resultados me deu com o Rival. Mas, o bom negócio que surgiu foi este. Também procurei por uma pechincha do modelo Henge mas não encontrei nada. Portanto, o lugar é agora do Phenom enquanto não recupero o meu (seu) Rival.

2.11.2015

Compensatório

Depois do regresso cabisbaixo e prematuro de sábado, instalei um selim suplente que estava lá por casa e domingo voltei à carga, desta vez acompanhado por Mr A. Só prestei atenção à questão do selim e quando me apercebi que também o desviador precisava de uma afinação, já estava nos trilhos. Não obstante, o passeio foi suficientemente gratificante para que isso não fosse factor de perturbação. Lá se fizeram umas subidas, umas escabrosas, uns singles e tudo somado deu uma volta de 4h praticamente sem paragens. As pernas ficaram doridas mas a cabeça precisava de compensar o dia anterior. Agora durante a semana vai ter de haver um rolozinho para desentorpecer...!

2.10.2015

Descarrilou!

O passeio de sábado foi encurtado (arrrgghhh!!) quando estava a saber mesmo bem. Dia bonito, temperatura fria mas amenizada pelo sol, piso ok, até que...um buraco que foi enchido com terra/areia se ter revelado um atractor da roda da frente! Como ia devagar, o cérebro processou atempadamente a figura equina que se seguiu pelo que não houve azar na queda. Já o selim da Titus, descarrilou, literalmente! Não partiu, não dobrou, apenas descarrilou. E agora? Voltar a colocá-lo revelou-se para já tarefa impossível. Aceitam-se sugestões.

2.05.2015

Escorregadio que baste?

Domingo fui fazer as honras da casa (serra) a um amigo que dali ainda nada conhecia, Mr JP que veio convencido por Mr G, este um regresso muito saudado a este local. Mr JP, forte de pernas mas pouco experimentado em coisas técnicas e húmidas (no offense... :-) começou as descidas da pior forma mas lá foi encontrando o seu equílibrio e espero voltar a tê-lo por estas bandas. Já Mr G, depois de uns trilhos bem à nossa maneira, tenho a certeza que desta vez o hiato não será tão longo :-). Daqui a uns tempo, quiçá até os levo a fazer umas escabrosas... :-))

Manutenção ou body building?

No fds passado tivemos sessão de manutenção prolongada, envolvendo a renovação de pontes e a abertura de zonas de escoamento de águas. Grande coça e bom exercício!