7.29.2014

Sintra aos saltos

Sábado foi dia de reparação (e sesta na praia). Domingo foi para andar (e sesta na praia). Os testes à Talas prosseguiram na serra na companhia de Mr PS, companhia de poucas pedaladas mas muita paciência, nomeadamente para me convencer a baixar o selim e a fazer uns saltos que me deixaram com um daqueles sorrisos de orelha a orelha! Fizemos poucos Kms mas bons. E ainda demos luta a umas quantas silvas deixando mais uns trilhos suficientemente desobstruídos para a passagem. Foi um bom fds!

7.24.2014

Teste à Talas (em Sintra)

Obviamente que não é apenas por uma volta dada na serra que posso tirar conclusões. Especialmente quando a volta é feita com um piso pouco escorregadio e uma pressão nos captain ligeiramente inferior à usada para voltas maiores. De qualquer forma, as diferenças registadas foram muito positivas, a começar pela suavidade. Supostamente o Daniel enviou-me a suspensão já calibrada para o meu peso mas eu achei que tanto conforto até me podia fazer mal :-)) e vai de confirmar a pressão. Tinha mais 20 psi do que aquilo que eu colocava antes da revisão (70)!! Mesmo aumentando para 100 ficou ultra-macia e sem nunca esgotar o curso. Foi por isso uma volta bem "confortável", repleta de excelentes descidas e até acabei a fazer uns pormenores que até agora não tinham sido bem sucedidos. Seguramente mais bem sucedido que o desbaste de silvas, luta sem quartel e sem fim!

Pausas




7.21.2014

DPX racing

Antes que venham mais sugestões para alternativas à Bicimax, fica já aqui a escolha do pedalices: DPX racing.
Na semana passada a Talas foi e voltou com uma simples mas clara explicação do que foi necessário reparar e como foi feito, a indicação como fazer o (adequado) pagamento e, last but not least, um fine tuning do sistema Talas. Ao Daniel fica o meu agradecimento, já deixado também na página dele do facebook.

Xau Bicimax


Desde que tenho suspensões e amortecedores FOX que as revisões era feitas na Bicimax, representante oficial da marca. Numa ou noutra ocasião o serviço já tinha deixado um pouco a desejar no que diz respeito aos prazos de entrega. Nunca considerei isso aceitável mas até entendo que haja picos de trabalho e imponderáveis. E como as alternativas verdadeiramente não existiam, lá ia a coisa andando. Desta vez o atraso ia-me custando caro não fosse o amigo Mr LD ter uma suspensão igual que me emprestou para a rota dos queimados. E porquê o atraso? Porque aparentemente a Bicimax resolveu introduzir procedimentos de “chapa 5” (revisão? Então leva um pacote de casquilhos, retentores, kit talas, etc, quer precise ou não!) combinados com pedidos de validação dos orçamentos que tem na página deles! Contesto mas não discuto. Apenas lhes fiz ver os problemas causados e propus uma compensação pelo transtorno causado que passaria simplesmente por não me cobrarem as peças que a suspensão efectivamente não iria precisar (por ex levou casquilhos novos em Outubro de 2013 e pouco andou no inverno). Foi isto aceite? Não! Vai a Talas voltar à Bicimax? Também não! É que agora já existem alternativas e boas!  Sim, sou apenas mais um cliente no meio de muitos. Mas é assim que as boas casas começam a perder-se!

200 mil

O meu "menino" chegou ontem aos 200mil, muitos deles transportando as minhas "meninas". Ganda máquina!!


7.03.2014

Futebol ou bicicleta..? :-))


Nesta febre de bola dos últimos tempos, reconheça-se que está com piada!

Palmilhas Specialized (azuis)

Experimentei finalmente os sapatos specialized com as novas palmilhas da mesma marca (azuis; as de suporte médio) e ficou um doce-amargo de impressão. Doce porque realmente com aquilo os sapatos parecem outros, um conforto muito maior. O meu pé está na transição entre o apoio baixo (vermelhas; pé chato) e o médio e nos SIDI tenho umas vermelhas sendo que este conjunto sempre me proporcionou um óptimo conforto. Agora resolvi experimentar um apoio um pouco maior e gostei muito. Então onde está o amargo? Somente no que já referi antes: parece-me incorrecto que um produto (sapato) deste valor seja vendido com uma palmilha “standard” que pouco vale para depois o cliente ter ainda de gastar uma soma considerável na aquisição de umas outras vendidas...pela mesma marca!

7.02.2014

Kit de manutenção

Todos nós gostamos de pedalar nos trilhos desobstruídos e sem esfolar braços ou ver os guiadores presos em arbustos e silvas. No entanto, para que tal aconteça, é necessário que se faça algo para isso. Podemos simplesmente deixar a tarefa para outros com o argumento de que não temos tempo nem jeito. Ou podemos arranjar um pouco desse tempo e jeito para, sózinhos ou com companhia, fazer intervenções profundas e duradouras. Entre as 2 hipóteses, podemos fazer algo simples mas muito útil como arranjar um “kit de manutenção” como o da foto. Tudo que ali se vê pode ser transportado num camelbak durante uma volta normal (tamanho e peso reduzido) e tem uma função sasonal. A tesoura de poda e a pequena serra para a primavera/verão quando as silvas e os arbustos crescem. A zagaia e a machada (que é também maço) para o outono/inverno quando as chuvas e o mau tempo fazem cair ramos e pequenos troncos. No seu conjunto, estes pequenos instrumentos servem para limpar mais de 80% dos obstáculos que se interpõem entre nós e um trilho desimpedido.

7.01.2014

Mês e meio sem Sintra!

Não é usual mas deu-se a circunstância de uns passeios longe de Lisboa serem intervalados com um período de revisão de suspensão e afazeres profissionais que me fizeram estar cerca de mês e meio sem visitar os meus trilhos de Sintra. Curiosamente, quando achava que estaria menos tecnicista, pareceu que tudo estava até mais fácil. Para isso talvez tenha contribuido o bom estado dos trilhos, fruto destas maravilhosas chuvas estivais. Por isso a volta foi, tal como as últimas de Monsanto, um misto entre divertimento e limpeza (há ainda muita silva e acácia a desbastar!!).
Mas a serra é uma amante ciumenta e não gostou de tão prolongada ausência. Ficou registado o descontentamento no antebraço direito, sob a forma de um forte arranhão, dolorosamente ministrado por um toco de acácia ao qual, imprudentemente me encostei. Nada que um pouco de betadine não resolvesse in loco (sim, o camelbak tem sempre um frasquinho de betadine e umas compressas para cuidados mais urgentes!).
No próximo fds tenho de lá ir novamente apaziguar a deusa-serra.