4.29.2013

Preparações

Vem aí mais uns dias de pedalanço intensivo pelo que intensifiquei um pouco a preparação física. Sim, posso estar um pouco mais magro mas descansem os familiares e amigos, não é por falta de apetite :-)). As pernas vão-se exercitando a pedalar, os braços nas manutenções e reparações de trilhos. Para variar de cenário e tendo em conta o tempo mais seco, tenho ido dar umas voltas a Monsanto onde faço percursos mais homogéneos e mais rápidos e também com um tipo de piso menos aderente. Por aqui, os trilhos estão quase todos desobstruídos ou em vias disso mas a vegetação nalguns locais vai cerrando. Ajuda para a luta contra silvas, urtigas e afins precisa-se!

4.25.2013

Liberdade

Se hoje se celebra o dia, mais vale dizer umas palavras sobre tal conceito aplicado à bike. Porque é precisamente um dos sentimentos que tenho ao pedalar, em particular nas serras e trilhos. Quem gosta mesmo de um desporto (como eu deste) tira dele bastantes lições de vida. A importância das escolhas, a gestão do esforço, o trabalhar para alcançar algo que nos dá prazer, a responsabilidade, etc, etc. Por isso quando pedalo, mais do que a divertir-me, estou a viver. Mesmo sózinho, vou cantarolando, escolhendo percursos, desviando de obstáculos, imaginando diálogos, apreciando a paisagem, planeando reparações e manutenções, etc. Liberdade? Like!!

4.20.2013

Pedaleiro (com referência de cor)

Depois do incidente de há uns meses com os parafusos do pedaleiro, outros novos tiveram de ser colocados. Utilizei uns pretos mas com cabeça T30 o que não lembra ao menino jesus e, como me aconteceu, se há azar no meio do mato é uma chatice porque ninguém anda com chaves T30. Assim levou uns mais convencionais. Optei, ou melhor arrisquei, no entanto por experimentar uns vermelhos para ver se dava aquele toque de personalização que a Titus aprecia. Tem a vantagem de agora bastar olhar para baixo enquanto pedalo e é fácil verificar que estão lá os 4 :-) mas reconheço que o efeito estético não ficou inteiramente do meu agrado.

Sem Rival

Esta semana deu para fazer uma visita a Monsanto. Já há muito que uma oportunidade destas não surgia e foi bem aproveitada. O piso estava bom (uma ou outra zona de lama), a maioria dos trilhos transitáveis e eu com a pica toda. Poderia até dizer que foi um passeio sem rival. Mas por acaso só os últimos Kms merecem literalmente este epíteto! Numa das últimas descidas mais agressivas, ente pulos e abanões, o carril do selim Rival foi-se. Durou quase 3 anos bem abusados este selim pelo que foi substituído por um modelo igual: SL, 130, carris em titânio, último na loja. Andava a mirá-lo há tanto tempo que olha...

4.18.2013

E eis que finalmente tivemos uns dias de verdadeira primavera, com sol, daqueles em que a luz convida a sair dos trilhos serranos mais fechados e vir até ao Guincho cheirar o mar. E pelo meio, fazer Mr A ter de desmontar nalgumas descidas, uma vezes por vontade e cautela do próprio, outras nem por isso :-)). É que há casos em que a subtracção 140-90 mm é bem mais do que um dedo; no limite podem ser vários membros (ou orgãos...:-) não machucados!

4.09.2013

Sintradas espectaculares

Este fds fui 2 vezes à serra. Sábado foi para manutenções e a filhota acompanhou. Adorou as pontes, andar de galochas na água, retirar árvores caídas, fazer escoadouros de água, uma festa para além das minhas expectativas. Passámos os 2 uma excelente manhã, daquelas que senti que valeu a pena o tempo dispendido e os valores cultivados. Daquelas em que nem ligo ao facto de tão poucos se preocuparem em manter e só quererem usar. Na realidade, perdem mais eles que eu :-)
Domingo voltei para andar! Inicio logo pela madrugada, antes das 8h para terminar cedo e ainda ter tempo para o resto do fds. Soube muito bem apesar de não ter feito nada de extraordinário ou novo. O que soube melhor foi passar nas zonas que "intervencionámos" os 2 no dia anterior e ver como elas estavam capazes!

4.02.2013

Repeat do dia!


Ave Titus, oblectareturi te salutant (*)

Sábado foi dia de grande volta na serra. O meu fado foi começar cedo, sem paragens, subir o mais que conseguisse para descer o máximo possível, até que as pernas me doessem. Sim, tem chovido muito, havia lama mas uma bike que tem nome de imperador e está calçada com “capitães” não se atemoriza. Especialmente quando o meu estado de espírito era um bocado demente, qual Nero ansioso por uma volta decente. Os trilhos da serra retribuíram os cuidados e horas que lhes tenho dedicado e deixaram a Titus singrar sem quedas ou sustos. E os raios de sol a penetrarem a vegetação davam uma aura majestosa à serra. Mais tarde em casa nem foi preciso perguntar se me tinha divertido, bastou o meu sorriso :-)

(*) tradução livre e quase de certeza errada da frase "ave titus, os que vão se divertir saúdam-te"