7.31.2008

Índios em Sintra


Não, não se trata de vândalos mas da tribo dos "Black Foot" que invadiu a Reserva (dos Burros) da Peninha. E eu achava que voltava sujo de Sintra.... :-)))

7.29.2008

Lusco-fusco II

Hoje é novamente dia de lusco-fusco, se tudo correr bem, penúltima volta antes das férias. Depois de um fds em que se privilegiou as descidas técnicas vamos outra vez ao percurso mais rolante para puxar pelo cabedal em sprints rápidos. É um percurso giro mas que não me agrada tanto porque envolve curvas rápidas em piso que nesta altura do ano se apresenta escorregadio. E como é para ir sempre a abrir....(hoje já vou de sobreaviso para aquela árvore!!). Por falar em árvore, no domingo ia havendo encontro imediato com uma, na saída de um drop novo que a Intense vai ter de conhecer. Senão qualquer dia a contagem para o lado da Titus fica muito desequilibrada...:-)

Liberdade para a bike

Na realidade a liberdade é mais para o dono. Passe a publicidade directa à companhia mas para vos dar conhecimento que a Liberty passou a ter um seguro específico para as bicicletas. Nomeadamente para situações de furto e acidente quando transportada no carro. A ideia é óptima e o preço nem é muito elevado especialmente se é daqueles que passa a vida a transportar a bike de um lado para o outro. Mas leiam bem as letras miudinhas do contrato porque a parte dos acidentes tem bastantes cláusulas que invalidam o pagamento.

7.26.2008

Mais manutenção

Ontem o final da tarde foi novamente dedicado à manutenção de alguns trilhos de Sintra. Umas horas a desbastar silvas, cortar troncos caídos e a tapar regos com pedras e terra. Foi um exercício quase tão intenso como um passeio a sério, pelo menos a julgar pela quantidade de suor e pelas dores musculares que me atingem hoje. Os que levam ao movimento do serrote são claramente distintos dos que activam o pedalar! Ainda não sei se estas acções valem mesmo a pena mas como também me sabem bem, é para já irrelevante. Mas os freeriders que me perdoem, o argumento que o pessoal do XC-All Mountain (AM) degrada mais simplesmente não é verdade. Os trilhos que se apresentam em “pior” estado são os do DH-FR e não é por lá passarem alguns XC-AM. Já trilhos onde passam centenas de rodas essencialmente XC-AM (e não DH-FR) permanecem em bom estado. Basta ver por exemplo os trilhos, mesmo os mais técnicos, que foram usados nas 24h de Monsanto.

Love is Noise

Nesta perspectiva é lícito dizer que sou amado pelas miúdas cá de casa :-))

Olá para ti também

Um dos "problemas" de ter um carro distintivo com mais de uma década é que se torna difícil passar despercebido quando se vai dar uma voltinha num dos lugares habituais. Quando se regressa e se vê as escovas levantadas e uns paus nas rodas já se sabe que lá passou alguém conhecido :-))

Sugestão

Aqui fica uma sugestão não cíclistica para a minha maridinha e suas amigas que gostam de sair à noite “incógnitas”:

http://www.youtube.com/watch?v=6UX0p7uAW2s&feature=user

7.24.2008

Saco


Ontem acabei com a indecisão sobre que saco adquirir para carregar a vestimenta e acessórios da bike. Já tinha um bocado de vergonha de nas férias carregar o velhinho, oferta do TTLucas (obrigado amigo, serviu-me bem durante vários anos). Não deve ser um artigo muito procurado porque poucas lojas tem destes sacos e a escolha recaiu no da foto adquirido numa normal loja de desporto. Bem mais económico, um compartimento externo de rede, dois compartimentos internos com respirador um dos quais extensível e isolado (para roupa suja e/ou molhada). O espírito das férias aquece!

7.23.2008

Lusco-Fusco


Tal como o original jovem empresário Orlando Fonseca nós também fomos ontem investir intensamente num conceito novo: os passeios lusco-fusco. A principal diferença é a durabilidade do conceito; no nosso caso é coisa para 3h :-)))

7.22.2008

Quando até os trilhos vão de férias...


(mais uma do ARK)

Who's who?


(kindly provided by ARK, o nosso grande fotógrafo)







7.21.2008

E ontem?

Ok, vamos lá então ao relato de ontem. Para fugir ao calor que afinal nos fugiu fomos até Sintra. E os óculos embaciaram, os pneus escorregaram nas raízes húmidas, a pala do capacete pingou e eu diverti-me a valer. Quis fazer mais, todos os trilhos conhecidos mas nem o tempo nem as pernas davam para tanto. O tempo voa (como a frente da Intense... :-) mas ainda deu para revisitar uns troços mais esquecidos enquanto outros ficaram a chamar-me (traz o serrote...!Do me...!). Para a semana quero ver se vai haver umas horas para manutenção. Voluntários? Não? Então e para um nocturnozinho?

Pressão


Não, desta vez o post não é sobre a roda frontal de Mr LD colada à traseira da Titus (que aconteceu). Nem dos “incentivos” a Mr ML para rolar um pouco mais rápido (que também aconteceram...). Ou dos alertas a Mr JL que eu o vou passar logo o melhor é ele afastar-se e preparar-se para um eventual “chega para lá” (que só aconteceu na estrela!). É sobre a pressão para ter algo aqui original postado logo na 2f de manhã para que os fieis leitores possam começar dia alegremente. Perda de tempo dizem vocês? Nem por isso. O post vai levar 1 minuto a ler (um pouco mais se lerem como Mr NP curva :-) e a seguir o leitor inicia bem disposto a sua actividade laboral. Sem o post, vai pelo menos à página da bola (ou record), da chainreaction, a 3 ou 4 de gajas e ainda a uns quantos blogues sem piada. Isto é um verdadeiro serviço público!

PS – para relato sobre o passeio de ontem passe por aqui mais tarde.

7.18.2008

Oportunidade única!

Hoje, no Continente do Oeiras Park, promoção de "bicicletas OFF ROUD" :-))

(agora estou em dúvida se devia gozar com um dah! ou um duh!)

7.17.2008

Exercício

Ontem ao final da tarde tinha como propósito o divertimento de uma voltinha em Monsanto. Lá a fiz, 2h e pouco sem paragens à excepção do refrescar nuns chafarizes. Mas sózinho e com o calor que estava rapidamente aquilo se tornou mais num exercício que em divertimento. Valeu por isso. Em contrapartida esta tarde vou passá-la num sala quente envergando fatiota académica. Acho que vou suar mais que ontem!

7.14.2008

Mais 1 memorável

O fim-de-semana foi daqueles memoráveis. No sábado uma voltinha rápida a descomprimir e pensando no de domingo. Lá fui mostrar o meu playground à pandilha e que dia soberbo. Deu gosto ver as caras de todos, sorriso de orelha a orelha como os putos, em particular quando no fim discutíamos os diferentes trilhos (que tem muito mais piada quando são relembrados à volta de uma ganda almoçarada!!). Fizemos trilhos rapidíssimos, curva e contra-curva, a ouvir distintamente a roda da Intense colada à Titus e a pensar que não havia ali margem de erro. Não houve azares, não houve problemas e as unicas maleitas são os braços fustigados pela vegetação cerrada. Em resumo, um daqueles que não vamos esquecer tão cedo. O grupo (também) está em alta!

7.12.2008

Em alta


Com a nova suspensão a Motolite está definitivamente em alta na minha bolsa de valores. Mais do que qualquer outra, esta bike está uma extensão de mim próprio.

7.11.2008

Hidden cameras

Para quem gosta de ver câmaras escondidas num espírito nostálgico mas também acredita no bom da vida e no cheiro a felicidade.

7.10.2008

Going down – The final Cut


E pronto, já terminei a edição dos vídeos todos da Estrela. Gnus dos 2 gangs: DVD available upon request!

7.07.2008

Rescaldo

Este domingo houve passeio bom apesar de algumas más notícias.
Fui fazer com Mr A um passeio na zona de Palmela. Mr A na sua Dean rígida de titânio com pneus tipo 1.95, eu na Titus com o DH2.1 atrás... Nas poucas descidas que fiz atrás, ia-o atirando trilho fora (tipo como ia fazendo a Mr JL na semana passada... :- (. Acho que tenho de me conter para não pressionar tanto mas notei claramente a “pica” da estrela ainda latente. Adiante. Nas subidas tentei sempre ir na cola mesmo que com os bofes de fora. Resultado, 48 Km a média de 15,1, uma paragem para umas barritas e apenas outra paragem no topo da última grande descida para regular pressão, curso e altura do selim. Resultado, chegada aos carros antes do meio-dia e uma dor nas coxas que ainda hoje a sinto (claro que Mr A estava impecável e ainda queria fazer mais umas subidas!). Foi óptimo, por incrível que pareça.
Quanto à Talas nova (RLC), aprovada. Coloquei menos pressão, mas andei com menos curso na generalidade dos trilhos (desculpem mas a compressão não é 100% linear) e bloqueado no asfalto. Nesse sentido torna-se mais versátil que a anterior (R). Ainda não toquei na regulação do rebound que está numa posição intermédia.
Também foi a estreia do selim Rival em passeio longo e duro. Aprovado também e gostei da menor espessura (130 ao invés dos 143 recomendados para o meu traseiro). Só tenho de o chegar uns mm para a frente que em piso plano estava a “cair” muito para a frente.

E mau? Mais um incêndio em Sintra! Desta vez alguns trilhos foram-se de certeza. Ainda não sei a extensão dos danos mas estou dividido entre a curiosidade e a angústia. Gostava que o rescaldo fosse tão simples como este post.

7.04.2008

Renovação


O passeio da Estrela marcou também a retirada da Talas R e a sua substituição por uma...Talas RLC. Esta foi mais uma troca pelo coração que pela razão. A antiga está a funcionar bem (aliás, está à venda por um preço mini mini; amigo Areias, isto era uma boa oportunidade...mande email se estiver interessado). A razão da troca tem mais a ver com funcionalidade tendo em conta a minha evolução. Introduzi um espaçador na direcção pelo que o guiador ficou um pouco mais alto mas passarei a andar mais com os 100 mm mantendo a posição “basal level”. Por outro lado, quando lhe aumentar o curso ganho mais uns mm permitindo uma abordagem mais agressiva em descidas íngremes. Ganho no Lock para os bocados de asfalto e ainda a possibilidade de ajuste da compressão (se bem me conheço esta será a funcionalidade menos utilizada pois vou colocar um valor e pronto). Próxima semana darei feed-back da estreia agendada para Palmela.

Going down – literalmente!


Um instantâneo do unico momento verdadeiramente chato do passeio da Estrela. Se repararem com atenção, mais ou menos à altura do capacete de Mr LD, do lado esquerdo vê-se...uma perna! Ora para haver uma perna naquela posição podem facilmente imaginar a sequência do filme...

(Nota: aguardamos ainda confirmação da eventual extensão dos danos)

7.03.2008

Going down - Two tribes


Quando 2 tribos distintas se juntam não há necessariamente guerra (*). Se não acreditam vejam a descrição do “miliciano” Grilo aqui com mais umas fotos ilustrativas.

(*) The air attack warning sounds like
This is the sound
When you hear the air attack warning
You and your family must take cover
Ohoh oh
Let's go
When two tribes go to war
One is all that you can score

7.02.2008

Quem é o rei?

Para a minha rainha que agora acha que é capaz de descobrir música gira: a vassalagem ao rei ainda é conveniente!
http://www.kingsofconvenience.com/#

Going down? - Última carga!


Foi na Criméia, em Balaclava, que houve a famosa carga da Brigada Ligeira. A última carga de cavalaria numa guerra. Foi executada pelos ingleses que, depois de uma série de ordens e contra-ordens mal-entendidas, foram directo contra uma bateria de canhões russos situada no fim de um vale que também era rodeado por baterias russas. O resultado foi uma carnificina.
No domingo pelo contrário ninguém se aleijou!

7.01.2008

Going down – Resumo I


Muito resumidamente o que acontece quando o gang de L-A-V se junta ao MegaGang na serra da estrela? 2 dias a fazer pó lavado com água e cerveja, ultrapassagens de arrepiar, muita muita descida mas menos que os impropérios, uns 4Gb de filme e umas centenas de fotos para editar, uma dezena de câmaras de ar trilhadas, uns arranhõezitos, uma descida colectiva por asfalto até à Covilhã e um excelente convívio.