10.31.2007

Divertimento sério

Isto talvez seja um contra-senso mas levo o meu divertimento muito a sério. Directa ou indirectamente já vários posts abordaram este tema. Por exemplo a escolha dos componentes ou do vestuário não é feita apenas pela sua beleza ou performance mas também a pensar no conforto e segurança (aqui já ninguém tem 20 anos...). De igual forma, dou sempre uma vista de olhos na bike antes de ir andar e chego a horas aos encontros combinados. Neste aspecto gostava que todos fossem assim. E quando não são...às vezes irrito-me um bocado. Mas parece que o assunto de marcar encontros a horas é uma dificuldade generalizada. Até se vai fazer um congresso sobre isso!!

Shifters

Agora que a transmissão é nova e as mudanças foram afinadas, já posso opinar um pouco mais sobre os novos shifters XTR. Ainda sinto a falta dos “indicadores” de mudança dos XT o que me leva por vezes a olhar lá para baixo para confirmar que vou na pretendida. Por outro lado, essa ausência leva a um guiador mais desimpedido e a uma estética mais fluida. A facilidade nas mudanças é boa mas não é por aí que eles valem; os XT também eram bons. Curiosamente, o que mais gosto foi algo que pensei não ser muito prático (mas é!): a possibilidade de engatar todas as velocidades com o polegar. Isto permite manter sempre o dedo indicador na manete do travão. Produto aprovado!

10.25.2007

Relatividade

O passeio de domingo passado (e o fds em geral) foi tão bom que no final do dia eu comentava em casa que tinha acumulado energia anímica para toda a semana. Idealizei eu que o divertimento tinha sido tanto que aquele prazer não se poderia dissipar em 2 ou 3 dias. A realidade encarregou-se de demonstrar o contrário. Na tarde de 2f já suspirava, na 3f já pensava no próximo passeio e ontem já mandava emails a combinar como vai ser no domingo. Mas amanhã é como a musica dos Cure:

Monday you can fall apart
Tuesday, Wednesday break my heart
Thursday doesn't even start
It's Friday I'm in love

10.24.2007

Corte e costura


Como dito no penúltimo post, o passeio de domingo foi apenas ensombrado por um magnífico e enorme rasgo no pneu traseiro do ML. É certo que ele não é um peso-pluma (desculpa pá!) e que o trilho estava cheio de pedras aguçadas mas provou-se a minha percepção que os Nobby Nic não são pneus para a roda traseira. Muito em particular quando falamos de pisos bastante desgastantes para os pneus. Para tentar que o moço não desse logo ali por terminado o seu passeio eu ainda dei uma de MacGyver. Infelizmente como é apanágio cá do burgo, qualquer espaço/largo à beira de uma estrada secundária é um excelente local para despeja de lixo. Por isso, ao fim de poucos minutos de olhos no chão, descobri um pedaço de mangueira da rega. Uma vez cortado um pedaço e aberto longitudinalmente, faz um bom remendo interno que permite assim a colocação de uma câmara de ar. Ainda fizemos assim uns Kms adicionais mas o rasgo continuou a abrir e antes que aquilo rebentasse de vez lá foi o pobre ML pedalando por estrada até à viatura.
Em contrapartida, o meu novíssimo SmartSam, também na roda traseira convenceu: resistente, aderente e rolante q.b. Agora vamos ver como se comportará em piso húmido. Pelo andar da carruagem, talvez seja já este próximo fds

Outras bandas



Não é só por cá que os fogos devastam. Este é um pedaço de uma foto extraída do Público de hoje alusiva aos fogos na Califórnia. A bike não era grande coisa mas o que os incêndios já destruiram é significativo.

10.21.2007

Boys just wanna have fun

O passeio de aniversário da Titus foi quase perfeito. Fomos 5 para o PNSAC, um percurso de eleição, duro q.b. que durou até às 14h. A chegada tardia foi devido à única chatice do passeio, o amigo ML viu o seu pneu traseiro simplesmente rasgar-se o que o impediu de completar o percurso tendo ido para os carros um bocado mais cedo (assunto a ser tratado num post futuro). Depois, esfaimados, fomos ao Alto da Serra devorar entradas de polvo, moelas, queijo, bacalhau, ovas, presunto, paio, ovos mexidos com alheira antes de passar ao buffet de sobremesas e fruta. E umas jolas, claro. Tudo muito pouco calórico, próprio de quem acabou um passeio de bike. Não fossem as energias dispendidas na galhofa e acho que o balanço consumido/ingerido seria claramente negativo. Que dia espectacular! Malta, obrigado pela companhia :-))

10.20.2007

Prendas

Este fds a Titus faz um anito cá em casa. Um ano de excelentes passeios, gratas recordações e nenhum arrependimento pela aquisição. O único senão é mesmo a qualidade da pintura que numa máquina deste nível deveria ser superior; as “marcas de guerra” abundam mesmo em locais que não são directamente afectados por quedas ou encontros imediatos. A prenda oferecida foi uma transmissão nova: pratos, corrente e cassete. Na realidade, todos os componentes desta transmissão já tinham expirado (e bem) o prazo de validade. É claro que este tratamento de beleza teria de ocorrer em clínica especializada, na melhor mesmo (MegaAventura). Mas, verdade seja dita, loja onde entra a minha Titus fica logo mais bonita :-)))

10.17.2007

Ao piano



Hoje o pedalices volta à música. Desta feita com um dos mitos cá de casa, Keith Jarrett. Descrever um concerto do Keith é tão difícil como explicar o gozo que certos passeios nos dão a quem não anda. Há momentos de puro êxtase, outros agrestes, trechos fantásticos intercalados com outros que até dão arrepios. O “La Scala” é Marvão, o de Colónia a Serra d´Aire, Viena é Sintra, por aí fora. E além disso, ele também faz barulhos com a boca quando se embrenha mais...:-

10.15.2007

Peças (suplentes)

O passeio ontem foi bom apesar de ter sabido a pouco. Bom ritmo, alguns trilhos novos, uns antigos revisitados, zero problemas e acabámos muito mais cedo que o normal. Noutra ocasião teria feito mais uns Kms mas ainda na ressaca da constipação não forcei.
Apercebi-me no entanto que há umas quantas peças da bike a precisarem de substituição (em particular na transmissão). O que até não constitui problema porque as tenho todas cá em casa. Pois é, adquiri este hábito de ir comprando componentes antes de necessitar deles. Desde punhos, correntes, pastilhas de travão, passando por pneus, roldanas, até pratos e cassetes. Ou nas visitas às lojas dos amigos, ou aproveitando promoções, vou fazendo um stock de “consumíveis” para quando necessárias. Claro que poderia só comprar tudo quando precisasse. Mas isso não tinha nem metade da piada!

10.13.2007

Marcas



Não de bikes mas corporais. Hoje depois do banho descobri uma nódoa negra/amarela. Foi feita provavelmente no fds passado num dos vários single-track por onde passámos com arbustos bem densos. Ou numa das ocasionais pancadas que damos no quadro, guiador, selim, por aí fora. Citando uma música do Antony:

“I accept and I collect upon my body
The memories of your devotion”

Constipação à 6f é conspiração!


Em abono da verdade, uma constipação nunca vem em boa altura. Mas quando chega forte numa 6f, véspera de um fds com tempo lindo e em que até podia pedalar nos 2 dias....arrggghhhh, frustação !! Um cocktail de maxilases, benuron e vibrocil ajudará (espero) a que amanhã isto esteja controlado pois é dia de (re)visitar uma zona onde já não vou há muito tempo.

10.10.2007

Desafinado

Se é verdade que tudo correu bem no fds passado, não posso mesmo assim dizer que foi perfeito. Isto porque a estreia dos manípulos XTR foi deturpada por uma má afinação. Ora uns XTR com as mudanças a saltar é como um Ferrari em hora de ponta. Não sendo uma coisa “grave” fiquei chateado porque se deixo a bike com um mecânico é para ele fazer (muito) melhor do que eu sou capaz. E não foi o caso. O da frente, já reposicionado, ficou óptimo. O traseiro, em esforço, ainda salta nalgumas passagens. Para já ficam apenas as primeiras impressões. Leve, funcional e mais versátil; o facto de não ter indicação visual da mudança colocada requer habituação para evitar combinações extremas (3-1, 1-9).

10.07.2007

Lifting

Já ia sendo tempo de renovar o visual aqui do site, não acham?

Recuperado

Após 2 fds sem pedalar, aproveitei o prolongado para uma voltinha dupla e assim recuperar umas (disposição, forma) e perder outras (energia, peso, stress). Foi um dia de descidas escabrosas e depois um outro de subidas a condizer. Ninguém caiu, ninguém se aleijou, não houve furos e o maior acumulado foi de cansaço. Isso e alguns “refilanços” com as escolhas do guia :- )))
Seja devido a uma maior produção de endorfinas, dopaminas, adrenalina ou outras –inas quaisquer, o facto é que isto nos faz sentir muito melhor. Sei que não é fácil de explicar (nomeadamente às esposas...) mas a necessidade do exercício é mais mental que física. Não se trata apenas de dominar a máquina numa descida ou suplantar uma subida. Nem um regresso à adolescência. É o escape, a fuga à pressão de ser o macho-alfa da chafarica, o fecho dos circuitos neuronais que conhecem a palavra “trabalho”. Agora está tudo pronto para mais uma semana do dito. Venha ela!

10.04.2007

Elegância


Isto já não é apenas uma bike tecnologicamente actualizada. É também, cada vez mais, uma peça de arte contemporânea cuja evolução é ditada pela sua interacção com o meio (i.e., pedras, troncos e afins).

10.03.2007

De volta

Uns dias fora e tudo parece acumular-se. Trabalho, chatices, stress a que não será alheio a ausência da descompressão que umas voltinhas proporcionam. Mas vem aí um fds prolongado com perspectivas de bom tempo e companhia para pedalar. Aproveitei a impossibilidade no pedalar para rever a TALAS e instalar os novos manípulos. Por isso até há uma ânsia adicional em testar algo novo.
Por terras madrilenas não há muito a relatar porque aquilo é um bocado para o plano. Já para os lados da Sícilia.....oh, oh, aquilo tem ali muito monte e encosta vulcânica e eu já só desenhava trajectórias por onde hipoteticamente desceria. Venha de lá esse fds!!