3.30.2006

The answer is Answer


Um guiador com quatro anos deve ser aposentado. Fadiga do alumínio, pancadas, torções, são alguns dos "mimos" com que um guiador é brindado e é daquelas peças da bike que não queremos MESMO que se parta quando vamos a pedalar. Levanta-se por isso a questão, qual o substituto. A moda agora é a fibra de carbono mas eu ainda sou antiquado. Pelo que a resposta é....Answer ProTaper

3.27.2006

O rei das bicicletas

Aqui no bairro há um indivíduo possuidor do que nós designamos por um autêntico chaço. No entanto, ele passeia sempre orgulhosamente a sua bicla e (como me confessou) auto-intitula-se “o rei das bicicletas”. Quando nos encontrámos pela primeira vez no café, eu com a minha bike “pobre” (a Foxy) tivemos reacções opostas. Ele admirou, babou e eu fui sobranceiro. Not nice! No sábado voltámos a cruzar-nos no mesmo local. Ele voltou a admirar, eu disse-lhe para levar a Foxy e ir dar uma volta, experimentar uns saltos. O senhor ficou incrédulo, lá foi e voltou entusiasmado. A mim não me custou nada, ele ficou feliz. Ganhei ali um “amigo” e senti-me melhor comigo próprio. A sobranceria não serve para nada. Nas bikes e no resto.

CONDENSAÇÃO

Uma das coisas que me perturba mais nos dias húmidos é o embaciamento das lentes. Para quem é pitosga como eu, depara-se por vezes com a escolha “tiro os óculos e não vejo nada ou deixo os óculos e...continuo a não ver nada?”.
Fisicamente, os óculos embaciam porque há condensação da água na lente, ou seja, a passagem de um estado gasoso para liquido. A condensação normalmente ocorre quando o vapor é arrefecido. Por ex, quando se vem dum local frio e se entra num local quente e húmido as lentes embaciam. Na bike, em dias frios, os óculos embaciam mais quando abrimos um pouco o casaco; o vapor da nossa transpiração vai “escapando” por aí e encontra uma superfície mais fria (lentes).
Podemos diminuir este processo espalhando uma película hidrofóbica nas lentes que impeça a condensação. Passá-los em água com sabão ou espalhar um tipo de cêra são soluções eficazes mas poucas vezes disponíveis a meio dum passeio (além de também diminuirem a visibilidade. E manter as lentes aquecidas não é propriamente fácil (??). Parece que cobrir a lente com nanoparticulas de sílica será a solução ideal mas ainda não está comercialmente disponível.
Agora o que mais me intriga é explicar porque razão este fenómeno é muito mais óbvio nas minhas lentes amarelas que nas escuras (ambas plásticas). Eu diria que é por eu usar as amarelas em dias mais “escuros” (nublados), logo mais húmidos. Mas este fds andei no mesmo local, com as mesmas condições atmosféricas e a diferença notou-se. Será algum revestimento das lentes escuras? (está mais dificil de explicar do que as dores no joelho do mr G.)

3.22.2006

Suporte Universal


A legislação portuguesa não permite o transporte de bicicletas na traseira do veículo. Ou por outra, "permite" desde que não exceda os limites laterais do veículo, não exceda os 45cm para a rectaguarda, não tape os grupos ópticos e a matrícula e ainda quando não possa ser transportada no interior. No entanto, este é o meu suporte universal, fiel servidor há 10 anos. Já "levou" todas as bikes que alguma vez tive sem um único ameaço de queda. E nunca a polícia me importunou! Ok, o carro onde isto vai agarrado é um cabrio (no familiar a Bike vai lá em cima, num Barracuda) o que pode justificar alguma compreensão e levo sempre uma matrícula vísivel mas contudo, a segurança do sistema parece testada. Talvez por isso continuem a ser permitidos Europa fora. Só me dão os arrepios quando ando em bichas.....

3.20.2006

Marcas de Guerra

Num domingo em que a generalidade do pessoal se baldou a um passeio combinado com a desculpa da chuva que nem chegou a cair ou com a impraticabilidade de um terreno que estava bem divertido, deu para fazer um passeio bem duro e testar se a mossa na Superlight prejudicou algo ou será apenas uma cicatriz de estilo. Para já vinga a hipótese 2 que até permite poupar uns cobres e elogiar a resistência do alumínio. Aqui a moda dos quadros em carbono passa ao lado. O outro companheiro de aventuras, Mr A, resolveu dar uma de madeireiro e alargar um single-track com a bike. De forma infrutífera diga-se; as paredes celulósicas com deposições secundárias de lenhinas também primam pela resistência. E lá diz a voz do povo, quando a bike bate na árvore, quem se lixa é o ciclista :-)))

3.16.2006

Resposta da Marca (I)

Depois da reclamação do penúltimo post, recebi da progressive suspension a mensagem abaixo. Para já não sei se fará diferença no serviço que o representante nos presta mas é um começo.

I apologize about your complications, and thank you for letting us know of these situations. There is never any way for us to know about our service centers other then our customers informing us. I will make sure this information gets to the correct people and we give the service center a call. I apologize once again about your inconvenience I will see that this matter gets taken care of. If you have any other questions or concerns please feel free to contact me.

Thank you,
(nome removido por mim)
Progressive Suspension
11129 G Ave
Hesperia, CA 92345
(760) 948-4012 ext:748

3.15.2006

Trim-Trim Dói-Dói


Na volta pós-revisão a Superlight quis esmerar-se e mostrar que no cômputo geral a Foxy não lhe chega aos calcanhares. Eu fiz-lhe a vontade, levei-a a todas as descidas mais e menos agrestes, single-tracks, subidas, etc. Quando já estava mais que provado que o meu coração continua superleve (Mr G e Mr A, há esperança para mim !!) abusámos, acelerámos, resvalámos e zás uma pedrada na escora. Já falei com o Tri-Trim-Dói-Dói da Santa Cruz e aguardo agora diagnóstico. Acho que para já, o único problema é estético mas que dor, ver ali aquela mossa. Vamos lá ver se depois de uma má experiência com um importador se segue uma boa.

3.08.2006

O hobby do representante


O amortecedor finalmente chegou da revisão, a Superlight está ali pronta para acelerar. Para a história ficam as peripécias da revisão que motivaram o email abaixo, enviado para a Progressive Suspension. Sem mais comentários!

Dear Sirs
I'm sending you this message to complain about assistance in Portugal to my 5th element air shock. Although I understand that we are a small market with not that many customers, I defend that any company should always deliver good quality products and have good representatives. The later does not seem to be the case in Portugal.
After about one year running with my shock, I decided to send it to a revision. I phoned your local representative (Vieira & Graça) and, because the shock had no problems (that I noticed) I asked when it would be the best time to send it in order to have it revised in the least possible time. I was told to send it immediately and that I should expect it to receive it back within one week. After two weeks I phoned for the first time enquiring about the status. I was then told that they were "working on it", and it should be dispatched the following day. A few more days passed and, on the second phone call, the person in charge admitted he had not revised the shock yet and guaranteed that for the next day. On the third phone call, a few more days later the story was the same but this time the person actually told me that he was very busy and that, to him (I quote) "the revision of shocks was more like a hobby".
I find this unnaceptable coming from the oficial representative of your products. I then decided to start phoning daily until finally, 5 weeks after sending the shock and 3 weeks later then they had originally promised, I received the shock. The invoice that accompanied the shock showed that no parts were needed meaning that the revision of the shock probably took no longer than 1h.
As I said above, I find this behaviour unnacceptable and one that compromises the image of your products. As a customer of a high-end product I expect an equally good after-sale service which I did not find in your representative. Thus I urge you to take the measures you find appropriate to avoid similar situations with other customers in Portugal. Until then, I can only warn other potential customers about what to expect when buying or revising their shocks.
I look forward to hear your response. Until then, please accept my best regards

3.06.2006

39, direito a fundo !


Ontem foram 39 primaveras, comemoradas a preceito (como se pode depreender pela imagem acima), por trilhos das minhas origens na lide bttística. Ainda a acelerar, em boa forma. Tamos prás curvas :-))

3.03.2006

FORA DE PRAZO

Actualmente lá por casa como imensos lacticínios fora de prazo aos quais a minha filhota não deu vazão em tempo útil. É para fortalecer o sistema imunitário....(juntamente com a lama acumulada no bocal do camelbak).
O regresso do meu quinto elemento também está fora de prazo por motivos que ainda vão merecer aqui um post (detalhado) o que me deixa mais um fds na eminência de calcorrear Kms com a Foxy. Esta, pelos motivos errados, está a revelar-se uma compra bem dentro do prazo.

3.02.2006

40, curva a fundo !

Imaginem o cenário. Descida rápida, 40 e tal à hora, lado a lado com colega destas lides, lomba, curva fechada à esquerda, valeta profunda, muro !! Eu levo a trajectória fácil que estou na esquerda, ele tá quilhado, eu travo quase a fundo para lhe dar espaço mas àquela velocidade reduzir é relativo, a traseira foge, ele tenta equilibrar-se aí nos 10 cm que distam entre mim, a valeta e o tombo monumental, um embrulhado no outro. Um misto de sorte, experiência e sangue frio, eu lá agarro a bike, ele lá se equilibra e saímos os 2 com um riso-esgar de “desta safamo-nos”. Ficámos depois a saber que não fomos os primeiros a ter algo para contar naquela curva mas os primeiros não tiveram tanta sorte e deu direito a vários ossos partidos. Por essas e por outras é que eu gosto de andar com malta que já sabe um pouquito disto.